Maior campeonato entre comunidades do mundo, Taça das Favelas terá sua primeira edição em São Paulo

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

Campeonato já é tradicional no Rio de Janeiro e em outros estados. Terra da garoa contará com parceiros e auxilio da prefeitura

Por Caio Henrique

Na última quinta-feira, (31), o Museu do Futebol foi o local escolhido para receber a cerimônia de lançamento da Taça das Favelas 2019. O evento contou com presenças ilustres de grandes personalidades como MV Bill, Dexter, o prefeito da cidade, Bruno Covas, entre outros. Cafu, embaixador nacional da Taça das Favelas, esteve presente e deu um grande recado: “Uma das maiores ferramentas de inclusão social do mundo é o futebol. E a Taça das favelas vem só para coroar essa inclusão social. Através do esporte, música, cultura, realmente nós conseguimos tirar nossas crianças de caminhos ruins”.

Cafu, Marta e Dexter. Embaixadores da Taça das Favelas (foto: Cleiby Trevisan)

O que é a taça das favelas

Organizada pela Central Única das Favelas – CUFA, a Taça das Favelas é o maior torneio de futebol de campo entre favelas do mundo! Ao todo, mais de 100 mil jovens participam da competição, que se inicia nas peneiras internas nas comunidades até a grande final.

A competição visa contribuir para a promoção da inclusão social através do esporte, influenciando positivamente a realidade de crianças e jovens brasileiros. Uma oportunidade de promover a integração das comunidades, a ressignificação do território e o fortalecimento da autoestima da juventude das favelas.

A primeira edição da Taça das Favelas foi realizada em 2012, e desde então tem se consolidado como uma importante oportunidade de revelação de novos talentos para o futebol. Entre os destaques estão Erick Brendon, atual jogador do América, que disputou a Taça das Favelas 2012 representando o Complexo do Alemão, e Matheus Norton, que jogou a edição de 2013 e, no ano passado, se destacou na conquista do Torneio de Terborg, na Holanda.

A competição ganhou ainda mais notoriedade no cenário mundial, tendo sua importância e relevância reconhecida por grandes craques da bola como Zico, Júnior, Bebeto e Romário. Hoje a Taça é um sucesso e a cada ano cresce o número de favelas inscritas.

Além de dar oportunidade aos jovens talentos das favelas de brilharem e irem em busca do sonho de se tornar jogador profissional, a Taça das Favelas tem como fio condutor proporcionar novas experiências educacionais e culturais a estes jovens.A conscientização é essencial também fora do campo de jogo, pensando além das quatro linhas, que a CUFA oferece workshops e palestras durante o torneio.

Mais do que um torneio esportivo, a Taça das Favelas é o campeonato da integração social, levando a milhares de jovens valores educacionais e de cidadania.

Primeira edição em São Paulo

Depois de fazer grande sucesso em 12 estados brasileiros, a Central Única das Favelas (CUFA), organizadora do torneio, decidiu também começar esse grande projeto na maior metrópole do pais. O ano de 2019 será o primeiro em que São Paulo irá receber a Taça das Favelas.

Ainda em seu discurso, Cafu disse que são as oportunidades que transformam as vidas das crianças. “Nós precisamos dar a oportunidade e preencher os espaços dessas crianças, porque se elas ficarem de manhã sem fazer nada, é um espaço para aparecer algo ruim. Mente vazia, oficina do diabo”, completou o capitão do pentacampeonato mundial da seleção brasileira.

Todos os estados que participam da Taça das Favelas têm seu embaixador local. Em São Paulo foram escolhidos dois embaixadores, Marta e Dexter. “Eu sou um exemplo de mulher que saiu da comunidade e hoje estou aqui com vocês. Primeiramente estou aqui para representar todas as mulheres que vão dar um show assim como os meninos também dão”, disse a ex-jogadora de Basquete. Ela, ainda falando sobre mulheres, completou: “Eu sei que o esporte é muito importante na vida da gente, então meninas que forem jogar, caprichem, coloquem a fitinha azul, vermelha, não importa a cor que você queira usar, o que importa é que seu coração é vermelho como o de todos e nós somos todos iguais”.

Dexter, rapper que é a voz de muitas comunidades pelo Brasil todo também deu sua versão sobre a copa: “Faço um trabalho com rap que também é uma cultura aqui de São Paulo, dos guetos, das favelas assim como futebol que também salva vidas e é por isso que sempre participei e sempre vou participar e quero colaborar da melhor maneira possível”. Com 45 anos, Dexter disse que apoia a inclusão de pelo menos um jogador por time acima dos 40 anos (o regulamente prevê somente jovens de 14 até 17 anos no masculino e no feminino idade ilimitada) e ainda disse que jogaria se essa condição fosse contida. “O mais importante é que esse projeto chega em São Paulo com o mesmo intuito de salvar vidas. De mostrar a importância que essa juventude tem”, completou o rapper.

O futebol feminino também é valorizado pela Taça das Favelas. A modalidade faz parte do calendário da copa desde a primeira edição em 2012. Em São Paulo não será diferente e as meninas poderão mostrar todos seus talentos nos gramados paulistanos da mesma forma que os meninos.

Para firmar ainda mais a força que o campeonato chega na cidade, o prefeito Bruno Covas esteve presente no evento e também falou sobre a importância da inclusão das favelas: “Quero ratificar o compromisso da prefeitura de São Paulo em ser parceira dessa iniciativa estratégica em nosso ponto de vista não só em dar uma opção de lazer. É muito mais do que isso”.

Bruno Covas, que vestiu a camisa personalizada da copa, ainda disse que o esporte dá perspectiva de futuro, integração entre as mais variadas favelas que existem em São Paulo e que a prefeitura não poderia deixar de ser parceira. “Vamos ajudar com espaço, com arbitragem, ambulância e da forma que for necessária a prefeitura quer ser parceira para que a gente possa fazer dessa taça ainda maior do que ela já é”, completou o Prefeito.

Prefeito Bruno Covas veste a camisa do evento (foto: Cleiby Trevisan)

Calendário da copa

As inscrições para participar da copa foram abertas no dia 31 de janeiro e vão valer até dia 20 de fevereiro. Passada essa etapa, no dia 25 abrirão as inscrições para os atletas que pretendem disputar o torneio. Os interessados farão sua matrícula para fazer a peneira que dará a vaga no time da sua comunidade. As vagas se encerrarão no dia 15 de março. Nos dias 16 e 17 de março acontecerão as peneiras. Será um total de 400 atletas por peneira totalizando aproximadamente 20 mil atletas. Cada equipe contará com 30 jogadores ao final das peneiras.

Em março, os jogadores e treinadores vão passar pelo Congresso Técnico, onde receberão orientações de regulamento e arbitragem. Um dia depois vão receber um Workshop Social. A bola vai começar a rolar nos gramados paulistas no dia 6 de abril. As primeiras favelas campeãs da Taça das Favelas São Paulo, feminina e masculina, serão conhecidas no dia 1º de junho, dia da grande final com transmissão ao vivo do Sportv.

A Taça das Favelas conta com parceria de Assaí Atacadista, PicPay, Friboi, Box Mineiro, Vai Voando, Globo, Comunidade Door, Prefeitura de São Paulo e Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e a mais nova parceira Euro Sports para fornecimento exclusivo de bolas para o campeonato.

Uma das novidades ficará por conta da categoria feminina de ambos os torneios, que terão bolas padronizadas representando o futebol feminino, a força, o empoderamento e o protagonismo da mulher. A diretoria do Euro Sports já está desenvolvendo esses novos modelos de bola, em conjunto com representantes das seleções femininas.

Diretor da Euro Sports apresenta bola ao público (foto: Cleiby Trevisan)

Para fazer sua inscrição ou obter mais informações sobre a Taça das Favelas, basta entrar no site oficial do torneiro: www.tacadasfavelas.com.br .

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather