google.com, pub-3723287605272792, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Nos pênaltis, Brasília vence o Santa Emília e está na final da Copa Capela do Socorro

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

Após empate sem gols no tempo normal, Brasília e Santa Emília fizeram disputa de pênaltis acirrada que deu a classificação para a equipe do Jd São Luís

Depois de se classificar para a final da Copa do Busão no sábado (4), também em disputas de pênaltis, o Brasília partiu para a segunda semifinal do final de semana. Já o Santa Emília, procurava a sua primeira final na categoria esporte, após ser vice campeão da Copa da Paz de veterano, quando foi derrotado pelo VUMO.

Primeiro tempo truncado e com poucas chances

A primeira metade da partida que levaria  uma das equipes para a grande final da Copa Capela de Socorro foi em sua totalidade muito disputada no meio campo com poucas chances. O Santa Emília é uma equipe que o campeonato todo jogou fechada e sempre explorava bem os contragolpes, pois tinha muita velocidade na frente para chegar rápido. O Brasília por ter um time muito técnico prezava pela posse de bola e paciência para não ser surpreendido.

Foto: Caio Henrique/FCS

Na primeira metade dos trinta e cinco minutos iniciais, o Brasília até tentou acelerar um pouco mais, porém esbarrava na forte marcação do Santa Emília que não dava espaços para que Rogerinho enfiasse uma bola ou Max pudesse conseguir ficar mano a mano com a zaga para tentar uma jogada individual. A marcação feita era por zona, o tome do Taboão sabia que saindo em um erro adversário as brechas encontradas seriam maiores.

Na metade final a partida caiu muito de rendimento. O jogo ficou bem tático com o Brasília tendo a posse de bola e tocando de um lado para o outro, mas esses passes já não eram na velocidade com que começou o que facilitava e muito a vida defensiva do Santa Emília que se postava bem e conseguia recuperar as bolas e sair em bons contra-ataques, mas o último passe estava faltando. A alternativa então foi arriscar na bola parada e chutes de longa distância.

Principalmente pelo lado direito com Sérgio, Di e Nando era onde o Santa Emília dava mais trabalho. A equipe de Taboão explorava bem a fragilidade defensiva do adversário, pois Chulé, lateral esquerdo do Brasília, apoiava muito e deixava espaços para o Santa trabalhar bem na sua costa. Mesmo com todo esse jogo tático e truncado, um verdadeiro jogo de xadrez, nenhuma clara oportunidade de golo foi criada e a partida terminou sem gols no primeiro tempo.

Segundo tempo intenso

O jogo de semifinal é considerado por muitos a partida mais difícil de toda competição seja ela qual for. Por esse motivo o estudo é feito na maioria das partidas deste porte, mas o quando o tempo vai passando, as equipes começam a se soltar e o espetáculo fica melhor. Não foi diferente com Brasília e Santa Emília, após um primeiro tempo mais estudado, começou um segundo melhor.

Com apenas cinco minutos, o Santa Emília quase conseguiu abrir o placar. Sérgio recebeu na intermediaria, girou e viu um espaço na esquerda onde entrava Di no costado da zaga. O meio campista abriu o jogo para Di que, invadiu a área e tentou bater cruzado, mas Celso estava bem colocado e conseguiu defender de manchete e evitar o primeiro gol adversário. O gol acordou o Brasília que fez algumas mudanças e começou a dominar o jogo.

Foto: Caio Henrique/FCS

Aos 12’, Wellington, volante da equipe do Jd São Luiz, roubou a bola no meio campo e já fez a ligação com Max na frente. O atacante recebeu mano a mano com dois marcadores e, mostrando habilidade, conseguiu driblar os dois e invadir a área, mas quando foi finalizar, a zaga chegou e travou em um carrinho providencial. A partida era mais rápida, o gol poderia sair a qualquer momento e o Brasília apertando.

Os quinze minutos finais foram de bombardeio Brasiliense. O Santa Emília tentava marcar e ficar com a bola, mas viu que não conseguiria então recuou mais, chamou o adversário para o seu campo o que foi um prato cheio para Vitinho, atacante do Brasília. O camisa 11 havia entrado na etapa fina e conseguiu criar grandes jogadas usando sua explosão pelo lado esquerdo.

Aos 23’, Vitinho recebeu na esquerda, ajeitou para o meio e bateu colocando no campo oposto de Paulinho que conseguiu fazer uma linda defesa e espalmou para o lado. No rebote chegou Didi enchendo a bomba, Paulinho caído só pôde torcer, e como todo bom goleiro sempre conta com a sorte, a bola explodiu no travessão e não entrou. Era questão de tempo para a bola entrar, mas ele foi passando e nada das redes balançarem, por isso a estratégia foi as jogadas de linha de fundo.

Pelo meio estava muito congestionado, então os cruzamentos era a alternativa para que Brasília e Santa Emília pudessem conseguir os seus respectivos gols, mas por um capricho essa jogada não deu certo aos 32 minutos. Didi conduziu até a linha de fundo direita e cruzou no segundo pau onde entrou Vitinho e cabeceou no cantinho direito de Paulinho. A bola tocou na trave e saiu, não era a tarde dos atacantes, era a tarde de um dos goleiros que teriam que brilhar na disputa de pênaltis que veio logo a seguir.

O arbitro Fabio Mendes  encerrou a partida e na marca da cal a classificação foi decidida. Em uma disputa emocionante onde a classificação estava nas mãos do Santa Emília, mas a estrela de Celso, goleiro do Brasília, brilhou o Brasília conseguiu sua segunda classificação para final em dois dias.

Confira a disputa de pênaltis através do nosso facebook no link a baixo:

https://www.facebook.com/futebolcoisaseria/videos/1489976194355462/

Na final, a equipe do Jardim São Luís enfrenta o Maloquinha, no dia 19, às 14h, no CDC Tancredo Neves (Colorado).

 

Ficha técnica

Santa Emília 0 (5) x (6) 0 Brasília

Data: 05/02/2017

Local: CDC Décio da Silva, Anhanguera

 

Santa Emília: 12- Paulinho; 17- Gui; 6- Renan; 8- Maicon; 10- Di; 20- Sérgio (21- Alberto); 19- Vitinho (11- Henrique); 7- Nando (9- Buiu); 18- Bilo (16- Leonardo); 3- Dudu; 22- Tata. Técnico: Ivan

Brasília: 1- Celso; 3- Jeremias; 4- Rodrigo; 2- Buiu (23- Didi); 5- Wellington; 6- Chulé; 18- Chavão (16- Reginaldo); 22- Everton (11- Vitinho); 9- Max; 14- Rodriguinho (8- Murilio); 10- Rogerinho. Técnico: Robson

 

Cartões Amarelos Santa Emília: 18- Bilo; 16- Leonardo; 6- Renan; 3- Dudu

Cartões Amarelos Brasília: 10- Rogerinho; 11- Vitinho; 6- Chulé; 16- Reginaldo

Árbitro: Fabio Mendes

Auxiliar 1: Nubia

Auxiliar 2: Luciana

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather