google.com, pub-3723287605272792, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Após empate no tempo normal e 28 pênaltis batidos, Favela bate o Ressaca e avança na Copa Anhanguera

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

Era pênalti que não acabava mais. Melhor para a equipe do Heliópolis, que chegou às quartas de final da competição

Por Lucas Ribeiro

Um grande jogo. Ressaca, da Vila Rubi, e Favela, do Heliópolis, fizeram um jogaço de bola no CDC Décio da Silva, digno de uma mata da Copa Anhanguera. Para resumir o que foi a partida, aquele velho clichê serve perfeitamente: “Quem não faz, toma”.

_DSC0710
Foto: Lucas Ribeiro/FCS

O jogo

O jogo foi equilibrado o tempo todo. Nem Ressaca, nem Favela, conseguiram tomar o controle da partida. Com bastante disposição dos homens de meio campo, a partida se concentrou bastante por aquele setor.

Quem conseguiu vencer primeiro a batalha no meio campo foi o Ressaca. Aos nove minutos, Rato recebeu na esquerda e arriscou de longe. A bola saiu raspando a trave direita do goleiro Celso.

A resposta do Favela veio 10 minutos depois. Bola levantada na área, a zaga do Ressaca afastou mal e ela sobrou para Henrique, dentro da área, mas o volante do Favela pegou mal na bola e jogou à esquerda do gol, perdendo boa chance de abrir o placar.

Aos 30 minutos, o que já era quente, ferveu. Uma falta no meio campo fizeram com que as duas equipes se estranharam. Lambari, pelo lado do Favela, e Isaac, pelo Ressaca, foram os escolhidos pelo árbitro a irem para o chuveiro mais cedo. As duas equipes ficaram com 10 jogadores.

Dois minutos depois, o Favela teve uma falta pela esquerda. Miranda jogou dentro da área, Romário ganhou pelo alto e cabeceou firme, mas Gel espalmou para escanteio.

No último lance do primeiro tempo, aos 39 minutos, Rato cobrou falta da direita direto para o gol. Ela saiu tirando tinta do travessão, assustando o goleiro Celso.

Favela sai na frente, mas Ressaca busca empate

Logo aos três minutos da segunda etapa, o Ressaca assustou novamente na bola parada. Rodrigo cobrou falta da esquerda, mas ela saiu, com perigo, por sobre o travessão.

_DSC0705
Foto: Lucas Ribeiro/FCS

Aos seis, Miranda recebeu na intermediária e viu um buraco na zaga do Ressaca, coisa rara na partida. Ele serviu Tiago, que ficou livre para dar um tapa na saída de Gel e abrir o placar.

Aos nove minutos, o Ressaca teve outra chance na bola parada. Rodrigo foi para a cobrança e bateu rasteiro, no canto esquerdo de Celso, que caiu e espalmou para escanteio.

No minuto seguinte, quase saiu o empate do Ressaca. Guega recebeu na meia lua, cortou para a perna direita e bateu para o gol. A bola desviou no meio do caminho, mudou de trajetória e saiu raspando o poste direito de Celso, que ficou apenas torcendo.

Aos 11 minutos, Tiago recebeu dentro da área e bateu cruzado. A bola saiu tirando tinta da trave direita de Gel.

O jogo então ficou com o Ressaca se lançando ao campo de ataque e o Favela tendo espaço para encaixar os contragolpes. Mas o time do Heliópolis não estava aproveitando os espaços que tinha…

Aos 18 minutos, Wellington recebeu na esquerda, cortou para o meio e bateu rasteiro. Celso caiu no canto direito e fez a defesa.

Com 27 minutos, de tanto insistir, o Ressaca chegou ao gol de empate. Diego cruzou da direita, Ítalo escorou para o meio e ela sobrou limpa para Guega encher o pé e empatar a partida.

No apagar das luzes, o Favela ainda criou mais duas oportunidades. Na primeira, Ronaldinho recebeu com liberdade na intermediária, ajeitou para a perna direita e bateu colocado. A bola saiu muito perto do travessão.

Na sequência, Alemão arriscou de fora da área, mas a bola saiu raspando o poste direito de Gel, dando números finais ao tempo regulamentar.

28 pênaltis depois…

Confira as cobranças, o vídeo é do Eduardo Lima, do Cornetas da Bola:

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather