Em jogo eletrizante, Palmerinha elimina Elite do Iporã nos pênaltis pela Copa Leões

Por Caio Brito

Equipe do Paraisópolis chegou a estar perdendo de 2×0, porém buscou o empate e garantiu a classificação para a grande final da Copa Leões nos pênaltis

O público que compareceu ao CDC Cidade Dutra no último domingo (15), presenciou uma partida de excelente nível técnico. Desde o início, ambas as equipes justificaram suas presenças na semifinal do torneio. A igualdade dentro campo prevaleceu desde quando a bola começou a rolar.

O jogo

Nos  primeiros dez minutos, o Palmeirinha chegou mais ao ataque e criou duas oportunidades para abrir o placar, porém os arremates de Be e Fafa não ofereceram perigo. A partir desse momento, o Elite acordou e respondeu na mesma moeda as ofensivas do seu adversário aos 12 minutos com Besouro e aos 14, com Thomaz.

Aos 18 minutos, o Iporã foi recompensado. Após escanteio da direita, a zaga do Palmerinha não conseguiu afastar o perigo, a bola atravessou a intermediária e ficou limpa para Dênis, que recebeu desmarcado e com muita tranquilidade dominou e mandou no ângulo direito de Juninho. Golaço.
Mesmo atrás do placar, a equipe do Paraisópolis não se abalou e continuou mantendo seu estilo de jogo. A igualdade quase veio na sequência. Aos 22 minutos, Be roubou a bola no campo de ataque e tocou rapidamente para Fafa na direita, que finalizou cruzado pela linha de fundo.

Foto: Caio Brito/FCS
Foto: Caio Brito/FCS

Aos 32, outro golaço do Elite. Após cruzamento da esquerda, Muller dominou dentro da área, deu um chapéu no adversário e emendou de primeira. A bola foi no ângulo. Uma pintura.

Logo na sequência, o Palmerinha diminuiu. Após cobrança de escanteio da esquerda, Esquerdinha concluiu depois de aproveitar um intenso bate-rebate dentro da área. Com isso, as equipes foram para o intervalo com o placar totalmente indefinido.

Análise dos técnicos

Após uma longa conversa com seus atletas, Casinha afirmou que iria continuar buscando o ataque. “Vamos em busca do terceiro. Vou manter o mesmo esquema de jogo para fazer o 3° e decidir logo o jogo”. Já Bruno mostrou que não estava satisfeito com o futebol de sua equipe. “Faltou um pouquinho mais de vontade. Estamos num marasmo do caramba”.

Segundo tempo

A etapa final continuou apresentando uma partida agradável, porém, com um cenário diferente. A equipe do Paraisópolis passou a controlar as ações ofensivas, enquanto o Elite se defendia e buscava o contra-ataque para liquidar do duelo.

Aos 10 quase veio o empate. Após receber lançamento em profundidade, Fafa saiu na cara do goleiro e finalizou. Thiago fechou bem o ângulo e fez a defesa parcial.

Foto: Caio Brito/FCS
Foto: Caio Brito/FCS

O Palmerinha continuava pressionando. Mas aos 15 minutos, quase viu o confronto sendo decidido pelo rival. Após rápida troca de passes, Thiaguinho recebeu com espaço na entrada da área. O camisa 8 arriscou e exigiu excelente defesa de Juninho.

Após o susto, a equipe alviverde voltou a assustar aos 22 minutos numa cabeçada de Boi, após falta da direta.
Aos 28 minutos, a equipe do técnico Bruno igualou o placar. Após receber lançamento, Esquerdinha saiu livre, cara a cara com o goleiro Thiago, que ao tentar evitar a finalização derrubou o lateral dentro da área. Pênalti. Na cobrança, o zagueirão Boi bateu firme no canto direito de Aquiles, que entrou um pouco antes da cobrança ser executada.

Depois desse momento, as equipes se arriscaram pouco e o adversário do Brasília na final da Copa Leões seria decidido nos pênaltis.

Igualdade também nas cobranças

Nunca um confronto semifinal foi tão disputado. Foi preciso vinte(!) cobranças para o finalista ser conhecido. Confiança e frieza foram as características dessa disputa que parecia interminável. Teve tempo até para polêmica. Na cobrança de Besouro (a 18° da noite), a bola pegou na trave e quicou dentro do gol, segundo o auxiliar Dênis Gonçalves. O lance gerou muitas reclamações por parte do Palmeirinha,que afirmava que a bola não havia entrado.

Mas ao final prevaleceu o Palmerinha. Pelo placar de 9×8. Na 10° serie de cobranças, Edmilson desperdiçou para o Elite e Anderson colocou o time do Paraisópolis na decisão pelo segundo ano consecutivo.

Ficha Ténica:

Palmeirinha 2(9)x(8)2 Elite do Iporã
Local: CDC Cidade Dutra
Data: 15/05/16

Palmerinha: Juninho; Julinho(William), Boi, Toninho e Esquerdinha; Sassa, Gê(Iranildo), Jorge(Marlon) e Bê(Anderson); Tinho e Fafá – Treinador: Bruno

Elite do Iporã: Thiago(Aquiles); Murillo, Fernando(Robson), Bileu e Denis; Lelinho, Thiaguinho(Wagninho), Aslan; Muller, Besouro e Thomas(Edmilson) – Treinador: Casinha

Árbitro: Marcos Félix
Assistente 1: Denis Gonçalves
Assistente 2: Gigante
4° árbitro: Binho

Voltar ao Topo