google.com, pub-3723287605272792, DIRECT, f08c47fec0942fa0

São Paulo joga melhor e Sandro Meira Ricci decide o Majestoso

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

Salve, salve, leitores do FCS! Depois de algum tempo me dedicando ao futebol amador, voltei aqui para escrever para vocês.

Instantes atrás terminou o Majestoso no Morumbi, com vitória do São Paulo por 2×0. Resultado que classificou o Tricolor, que vai encarar o Cruzeiro nas Oitavas-de-Final da Copa Libertadores da América.

O resultado foi justo, entretanto, o Corinthians foi muito prejudicado pelo Sandro Meira Ricci. As expulsões foram injustas. E não adianta o argumento de que o árbitro seguiu o rigor da lei, porque isso não existe no futebol. Árbitro nenhum consegue ser frio e justo igual ao livro de regras da FIFA. Exemplo disso é o lance entre Centurión e Elias no fim da partida, onde foi a mesma situação que o lance entre Luis Fabiano e Mendoza. Ao invés de expulsar Elias e advertir o são paulino, Ricci preferiu acalmar os ânimos através da conversa. Faltou bom senso ao juiz.

al8i2161

Falando sobre o jogo, o São Paulo sobrou. Mesmo não fazendo uma grande partida tecnicamente, o Tricolor teve o que todo mundo cobrava: Coração. Pressionando o Corinthians desde o início da partida, não deu sopa para o azar e controlou o jogo. O meio campo no formato de losango foi determinante para a superioridade do São Paulo. Milton Cruz calou a imprensa toda, que o crucificou antes da bola rolar, por entrar com três volantes.

Mesmo tendo a bola, o São Paulo não criou grandes oportunidades de gol. Achou o primeiro gol, depois de um erro de Hudson, a bola sobrou limpa para o Fabuloso dentro da área, livre, ele bateu cruzado e abriu o placar.

O Corinthians que estava preguiçoso desde o começo do jogo, depois do gol ficou displicente. Exemplo disso é no lance do primeiro gol, onde o Renato Augusto larga a marcação do Michel Bastos, que recebe livre para fazer o cruzamento do gol. Tite vacilou em não alterar a equipe depois da expulsão. Poderia ter colocado o Renato Augusto na frente, tirando o Love e colocando o Mendoza na esquerda. Com certeza o Corinthians teria mais posse de bola e iria sofrer uma pressão menor.

 

Cássio falhou feio no segundo gol. Mais do que isso, jogar classificado não fez bem ao Corinthians. Aliado a isso, o time esteve numa noite totalmente infeliz, jogando muito abaixo do seu nível técnico. Desde o jogo contra o Santos, o time não faz um jogo inteiro bom, sempre oscilando bons e maus momentos.

Ao São Paulo, a vitória vai encobrir algumas falhas, como a expulsão de Luis Fabiano. O Ganso teve uma melhora, mas esteve longe de jogar metade do que sabe. Não teve nenhum bom passe vertical. Teve a vida facilitada por causa da expulsão de Sheik.

Mais uma vez Michel Bastos fez a diferença para o São Paulo. A sua dinâmica é peça fundamental para o esquema do time. Méritos mais uma vez para o Milton Cruz, que colocou três volantes para dar mais liberdade para o Michel encostar no ataque, aberto pelo lado lado esquerdo.

Para o São Paulo, a vitória foi ótima porque acaba com o fantasma do Corinthians no Morumbi. Eram 08 anos (13 jogos) sem vencer o maior rival em casa. Devolve a auto estima para o elenco, mostrando que o time pode render mais do que estava apresentando. Mas existe uma possibilidade real da história de 2013 se repetir. Uma classificação sofrida, seguida de uma eliminação nas oitavas. Vamos esperar pelo embate contra o Cruzeiro.

Para o Corinthians, dos males o menor. Fugiu do Galo, algoz no ano passado, após virada sensacional na Copa do Brasil. Adversário será o Guarani, do Paraguai, com a vantagem de decidir em casa.

OBS: Toloi merecia a expulsão pelo pisão. Sheik merecia o amarelo pelo totó. Luis Fabiano merecia o amarelo pela simulação e Mendoza merecia o amarelo pelo tapa no braço.

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *