google.com, pub-3723287605272792, DIRECT, f08c47fec0942fa0

Palmeiras x Corinthians – Um dérbi digno de sua história!!!

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

 

O encontro entre Palmeiras e Corinthians hoje no Pacaembu, atendeu a todas as expectativas já ditas aqui no FCS. O jogo era cercado por um clima de tensão, o Palmeiras precisava da vitória para começar a reagir no campeonato. Precisava vencer para acalmar a torcida e o conturbado ambiente na Academia de Futebol. O Corinthians por outro lado, queria apenas afundar ainda mais o rival, apesar do discurso politicamente correto, dizendo que jogava para ganhar de todos, e que o jogo não era diferente pela situação do rival.

O Publico no Pacaembu me decepcionou, apenas 26 mil torcedores. O Palmeiras começou o jogo a todo vapor, marcando o Corinthians em cima, o Palmeiras encontrava espaços pelas laterais, Luan e Arthur levavam vantagem em cima de Fabio Santos e Guilherme Andrade. O Corinthians por sua vez, estava lento, tentava esfriar o jogo tocando a bola. Valdivia roubava muitas bolas em cima dos volantes corinthianos, Assunção e Correa tomavam conta do setor de criação do Corinthians. O Palmeiras dominava a partida, mas não conseguia criar chances de gol, o lance mais perigoso foi um chute forte de Luan, que Cássio encaixou sem maiores problemas. A partir dos 10 minutos, o Corinthians acertou a marcação, acertar mais passes e equilibrou o jogo. Na medida que o tempo passava, a situação delicada começou a pesar no lado verde. Visivelmente nervosos, os jogadores palestrinos começaram a errar passes, começaram a abusar das faltas, começou a dar campo para o Corinthians. O lance que retrata bem essa falta de concentração é o primeiro gol corinthiano, aos 21. Douglas recebeu com liberdade na intermediaria palmeirense, sem uma marcação mais forte, teve tempo o suficiente para achar Martinez dentro da area, que cortou Mauricio Ramos. Mauricio conseguiu se recuperar e fez o desarme, a bola sobrou para Juninho, desatento, perdeu a bola dentro da area para Romarinho, que bateu cruzado sem chances para Bruno, 1×0. O Corinthians abriu o placar no momento que conseguiu equilibrar as ações. O gol desestabilizou o já instável Palmeiras. Os nervos ficaram a flor da pele. Luan que ja tinha amarelo por uma suposta simulação de penalti, arrumou confusão na comemoração de Romarinho. Merecia o segundo amarelo e a expulsão neste lance, que quase culminou em pancadaria no Pacaembu. Apenas Romarinho foi advertido. O jogo reiniciou e o Palmeiras abusava das faltas. O Corinthians mantinha a postura de não criar, e apenas cozinhar o jogo tocando a bola. O Palmeiras era mais perigoso,e  Barcos quase empatou em chute de dentro da area, que saiu por cima do gol de Cassio. Luan continuava nervoso, discutia com a arbitragem e fazia faltas, quando Narciso mandou Maikon Leite para o aquecimento, veio um golpe duro. Guilherme Andrade cortou a bola e endureceu o corpo pra cima de Luan, que na queda tenta acertar o corinthiano com pé direito (no momento achei que tinha acertado,ç mas não houve contato) e deixa o braço erguido, na altura do pescoço corinthiano. O arbitro não pensou duas vezes, levantou o segundo amarelo, depois o vermelho e mandou o palmeirense mais cedo para o chuveiro, tudo isso com apenas 26 minutos de jogo. Apesar de todo o ambiente desfavoravel, a torcida Alviverde continuava ao lado da equipe, que não se abateu e continuou com a mesma postura. O jogo ficou tenso até os 35 minutos, sobrava pancada e faltava futebol. A partir dos 35 minutos, Barcos apareceu no jogo e deu maior volume de ataque ao time do Palmeiras, que só assustava nas bolas paradas de Assunção. O primeiro tempo terminou aos 48, sem nenhum lance mais perigoso.

 

O segundo tempo veio com a alteração de Tite, Jorge Henrique no lugar de Martinez, apagado na primeira etapa. As equipes mantiveram a postura da primeira etapa, o Palmeiras tentava acelerar o jogo toda vez que tinha a posse, e o Corinthians apenas tocava. Numa troca de passes dessa, Jorge Henrique deixou Romarinho livre de cara para Bruno, quase dentro da pequena area, e o carrasco alviverde (São 3 gols em 2 jogos) jogou por cima, perdendo chance incrivel. O Palmeiras tentava atacar, mas era traído por seu sistema defensivo. Aos 8 minutos, João Vitor perdeu a bola para Danilo, que tocou para Romarinho lançar Douglas na direita, um cruzamento perfeito na cabeça de Paulinho, apenas escorar no contrapé de Bruno. 2×0. O Corinthians nocauteava o Palmeiras. A torcida palmeirense que vinha incentivando até então, calou no Pacaembu. A preocupação era visivel nos rostos palestrinos, e pela primeira vez, o fantasma da série B atormentava a torcida. Aos 13 minutos, Narciso sacou Correia e colocou Tiago Real, em meio a protestos das sociais do Pacaembu, que pedia a saida de João Vitor. Aos 14, a torcida alvinegra presente no Pacaembu já gritava olé. O Palmeiras até tentava, mas esbarrava em grande atuação do volante Paulinho. Implacavel na marcação e autor do segundo gol alvinegro. O Corinthians controlava o jogo, e aos 22 minutos, Assunção pediu para sair, em seu lugar veio Obina. Na tentativa de diminuir, Valdivia acertou belo chute de fora da area, que obrigou a Cássio saltar e espalmar de mão trocada, aos 27 minutos. Aos 30, o Pacaembu caiu na cabeça de Joao Vitor, sacado para entrada de Marcio Araujo. Aos 35 minutos, o time do Palmeiras pediu um penalti de Guilherme Andrade, alegando que o jogador dominou no braço.O arbitro (que fazia uma arbitragem confusa), nada marcou. Aos 42 minutos, a torcida palmeirense começou a deixar o Pacaembu, os que ficaram protestavam contra o elenco e a diretoria. O Palmeiras ainda marcou aos 44 minutos, mas o tento foi anulado pelo assistente, marcando falta de Obina em Paulo André. Foi o ultimo lance de destaque no classico, que terminou com festa alvinegra, e desespero alviverde, que deve durar até o fim do campeonato.

 

O jogo foi a representação do momento das equipes, o Palmeiras estava com mais vontade  de vencer. Mas a desordem tanto politica, quanto tatica, fizeram com que o alviverde perdesse o jogo. O Corinthians não fez força para vencer. Bem postado atras, apenas tocou a bola e marcou em erros alviverdes.  O Palmeiras enquanto teve 11 jogadores, e depois da expulsão, enquanto teve força fisica, foi superior ao Corinthians. Vale destacar as atuações de Barcos, Assunção e Henrique. A vontade demonstrada por eles e o futebol apresentado, deixa a impressão que se o Palmeiras tivesse pelo menos mais um desses jogadores em cada setor, o Palmeiras não estava nessa situação. Já o Corinthians teve em Romarinho a sua principal arma. Vale a pena destacar a apresentação de Paulinho.

 

Facebooktwitterredditpinterestlinkedinmailby feather

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *