23 de Novembro de 2012, o dia que a imprensa errou

A CBF anunciou a demissão de Mano Menezes no dia 23 de novembro de 2012. A imprensa inteira criticou a decisão do presidente José Maria Marin. O dia ficou marcado como o fracasso da seleção brasileira para a Copa de 2014.

 

Caros leitores do FCS, quase um ano após a demissão de Mano Menezes, Felipão cala a boca de todos e coloca o Brasil como o maior favorito para conquistar a próxima Copa do Mundo.

 

Embora o começo complicado, com derrotas e empates contra as melhores seleções do mundo, Scolari conseguiu dar identidade ao time canarinho, coisa que Mano não conseguiu em dois anos à frente da seleção.

 

A quebra do jejum contra a França, em uma apresentação convincente, foi o começo da reação do time. Mais do que isso, aquele jogo na Arena do Grêmio uniu time e torcida. A seleção tinha uma parte maior de jogadores que atuavam no futebol brasileiro. O maior jogador daquele time ainda estava jogando por aqui.

 

Neymar, independente de Mano ou Felipão, é o maior responsável por essa  evolução do time canarinho. A alegria, a habilidade, o modo como encara  o desafio de jogar pela seleção cativa os outros jogadores. Ele incita  aos demais a procurar jogar bonito.

 

A Copa das Confederações, marcada pela onda de protestos do povo brasileiro em todo o território nacional, selou o pacto entre seleção e torcida para conquistar a Copa no ano que vem.

 

O Brasil venceu a Copa das Confederações com 100% de aproveitamento. Venceu a Espanha, Itália e Uruguai. Campeã do Mundo, vice-campeã europeia e tetra campeã do mundo e o atual campeão da América do Sul, respectivamente. Acabou com o fantasma de que o Brasil não vencia as grandes seleções. Mais do que ganhar, o Brasil venceu com autoridade.

 

O trabalho de Felipão foi facilitado por Mano. A renovação cobrada por todos foi feita pelo antigo técnico. Felipão também conseguiu fazer o time brasileiro voltar a jogar um futebol mais alegre. Se durante quatro anos da Era Dunga o Brasil sempre foi competitivo, liderando as eliminatórias, vencendo a Copa das Confederações e a Copa América, a qualidade de futebol demonstrada deixava a desejar.

 

Temos que ser justos com o Dunga, ele não tinha um grupo muito bom. A safra que Mano colheu, que Felipão melhorou com alguns ajustes pontuais, é bem melhor que o time que Dunga tinha para jogar.

 

A vitória sobre o Chile fecha o bom ano da seleção. O time evoluiu muito desde o começo do trabalho de Scolari. Durante 2013 foram 19 jogos, com 13 vitórias, 4 empates e 2 derrotas. Um título conquistado.

 

Mais valioso do que a conquista da Copa das Confederações, o Brasil reconquistou o respeito do mundo inteiro. Reconquistou a torcida brasileira, reconquistou a forma brasileira de jogar futebol. Hoje temos um time competitivo, com padrão de jogo, com identidade e qualidade. Hoje temos um time com cara de campeão do mundo.

 

Marin contrariou todo mundo e acertou. Felipão calou a todos, inclusive a mim, que era contra a troca e não achava que o Felipão era o nome adequado.

 

Depois de 8 anos voltamos a ser temidos, somos BRASIL de novo.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Voltar ao Topo